Livro: Três Coroas Negras
Autora: Kendare Blake
Páginas: 304
GLOBO ALT


SINOPSE: Três herdeiras da coroa, cada uma com um poder mágico especial. Mirabella é uma elemental, capaz de produzir chamas e tempestades com um estalar de dedos. Katharine é uma envenenadora, com o poder de manipular os venenos mais mortais. E Arsinoe é uma naturalista, que tem a capacidade de fazer florescer a rosa mais vermelha e também controlar o mais feroz dos leões. Mas para coroar-se rainha, não basta ter nascido na família real. Cada irmã deve lutar por esse posto, no que não é apenas um jogo de ganhar ou perder: é uma batalha de vida ou morte. Na noite em que completam dezesseis anos, a batalha começa.





RESENHA:

Apesar dessa sinopse arrebatadora, onde se diz que todas as rainhas têm poderes, o livro não traz bem isso. Mas vamos com calma, que eu vou explicar, porque ele é bom do mesmo jeito. 

Katharine, a envenenadora, não tem um corpo forte para venenos, apesar de adorar mexer com eles. Mesmo assim, ela é dita como propicia a reinar, já que as ultimas três rainhas foram envenenadoras. 

Arsinoe, a naturalista, não teve ainda sua dádiva revelada. Todos a consideram a perdedora, a primeira a morrer e ninguém sentirá sua falta, até ela mesma. Porém, ela sempre brinca com isso. 

E por fim, Mirabella, a grande elemental, essa que controla a tempestade mais devastadora, quanto a mais fina garoa. Ela é a que todos acreditam ser a verdadeira rainha do trono. E a que todos dizem ser arrogante por ter o apoio de grande maioria. 

O livro traz o ponto de vista das três garotas, o que é maravilhoso, porque você se envolve na história das três, no começo torcendo por uma, depois por outra, e no final você não sabe mais qual é a sua eleita, já que existe grande potencial em todas. 

A escrita te prende de uma maneira forte, sempre te levando a querer ler mais e mais, e sem conseguir parar de pensar na história, no que vai acontecer, qual será o próximo passo. (Só pra vocês terem ideia, eu li ele em um dia). 

Eu me preocupava com a história ser um pouco parada, como se as rainhas ficassem trancadas, experimentando vestidos e pensando em bailes e festas, porém, apesar de ter isso em uma pequena parte do livro, a essência da história traz ação. E quando o quebra-cabeças se monta na sua mente e você começa a ligar os pontos da história, nasce aquela paranoia: “será que é isso mesmo, que eu penso?”.

Creio que faltou apenas mais detalhes sobre a vida dos outros moradores da ilha, como eles viviam. Poucas foram as vezes que isso foi mencionado, mas, novamente, o livro não é ruim por isso. 

Continuando sobre a história, as rainhas se enfrentam depois de fazerem 16 anos, após o festival Beltane, e pelo período de um ano. O Beltane é um “show” onde elas demonstram seus poderes, é um evento muito importante, extremamente importante, pois é lá que se inicia o ano da ascensão. Assim, nossas duas rainhas não tão fortes têm que se virar para não morrerem. 

A busca pelo poder na história não vêm das garotas, e sim das pessoas por trás delas, famílias que tem sede de poder. 

É obvio que temos personagens secundários que têm grande importância na história, como a Jules, o Joseph, o Pietyr, a Bree, e a Elizabeth, onde alguns o leitor passa a gostar, outros não, e tem aqueles que o leitor fica em cima do muro, porque sempre tem uma surpresinha. 

Durante o livro todo, você percebe que as meninas criam laços com seus amigos, como se fossem uma família, pois foram separadas ainda pequenas uma das outras e criadas por essas pessoas para reinarem. 

Outra coisa maravilhosa foi a autora colocar coisas sobre os antepassados, sobre as lendas antigas, e tudo isso ajuda a montar mais a história, fazendo você pensar sobre o que aconteceu no passado com as outras rainhas. 

E, além disso, a autora realmente surpreendeu e soube fechar com chave de ouro o primeiro livro. TRÊS COROAS NEGRAS traz coragem, aventura e, com certeza, muita ação, que surpreende do início ao fim da leitura, fazendo você querer muito a continuação.



Deixe um comentário