Livro: Acompanhante de Luxo
Autora: Lídia Medeiros
Páginas: 350
NOVO ROMANCE

Sinopse: Pela primeira vez em sua vida Nathan King resolve contratar uma acompanhante para passar a noite com ele. Ele só não imaginava que essa linda acompanhante faria seu mundo virar completamente de cabeça para baixo.
Kate é linda, loira e seu corpo é deslumbrante. O primeiro cliente que teve como acompanhante de luxo, foi nada mais e nada menos que o CEO das Indústrias King. Ela só não sabia que ele além de proporcionar a melhor noite de sua vida, também roubaria seu coração e sua alma.
Preparem-se para fortes emoções!
Uma noite! Duas vidas! Um único destino!



Avaliação - Capa: 3 estrelas - Escrita: 1 estrela - Personagens: 1 estrela - Final: 1 estrela



Resenha:

Diversos motivos me levaram a ler Acompanhante de Luxo, e acredito que o mais forte deles, foi a polêmica que teve com o vídeo da autora e seu marido.

A história como sempre, começa com a garota inexperiente, o cara que já sabe todas as artimanhas do sexo, primeira noite dos dois, paixão à primeira vista. Okay, até ai, conseguimos ver romances como os que sempre vemos.

Porém começa a decadência do livro, Katherine tem 17 anos. SIM, ela é menor de idade, e basicamente sua mãe a forçou a se prostituir. Como pode, uma mãe forçar a filha à entrar nessa vida? Sério?

Além de claro, após essa primeira noite com o "lindo, gostoso, charmoso" Nathan, ela começa a pensar nele o tempo todo, e tendo laços ligados à ele conhecendo suas irmãs.

Eu não queria citar o vídeo da autora aqui, porque achei que não teria haver com a resenha, mas lembro de uma frase que o marido dela disse no meio do vídeo. 

"Cinquenta Tons de Cinza ensina à bater, enquanto Acompanhante de Luxo ensina à amar."

Deixo aqui um pequeno trecho do livro:


"-  Você saiu ou não com ele, Katherine? – Sua mão direita apertava com força meu braço esquerdo, e me trouxe para mais próximo dele. Sua outra mão foi para minha cabeça e segurou meus cabelos. – Por que se tiver saído, ele pagará caro por tocar em você. 

– Pare com isso, Nathan. Está me machucando. – Empurrei-o, mas de nada adiantou. A minha mão livre foi de encontro ao seu rosto e o barulho da bofetada em meio ao silêncio foi alto. 

– Oh, meu Deus! Desculpe. – Falei baixinho. Ele fechou os olhos e os abriu, olhando-me como se eu fosse à presa e ele o predador. 

– Você é minha! Ouviu bem? Unicamente minha! – Ele sussurrou e sua boca se apossou da minha, segurando-me pela nuca. Esmurrei seu peito com raiva, mas sua boca continuava sobre a minha. 

Perdi o pensamento e esqueci que estava com raiva dele quase que imediatamente, me rendendo. 

Segurei o cabelo em sua nunca com força. Ele me suspendeu no ar, segurando-me com um braço, e prendi minhas pernas em volta dele."



Isso é amar? Porque se for, eu não quero um amor desse tipo, onde alguém me machuca, eu me defendo e ainda peço desculpas por isso. De jeito nenhum.


Isso sem contar os inúmeros furos que o livro tem, acredito não ter sido revisado. Como em determinado momento do livro, Nathan diz que o pai dele não passou a presidência antes porque não gostavam de Jéssica, e perto do final diz que ninguém nunca soube do envolvimento dele com a garota, esse é um dos, também o final em relação as gêmeas (no ultrassom era só um), e o envolvimento dele com George que é um grande buraco onde acredito que a autora poderia ter se aprofundado na história e montado o cenário certo para tudo isso.

Aliás, aquela história do tiro no final, foi meio que ridícula, desculpem o palavreado, mas sim, RIDÍCULA, como uma pessoa leva um tiro, fica mais de mês no hospital, não aparece um policial para tentar entender, E ANTES DO TIRO, ele tinha acabado de ligar para um detetive. Então, depois de tanto tempo em coma, três dias depois sai como se estivesse tudo bem. 

Lembrando ainda que ele xinga Katherine de prostituta barata, grita com ela no meio da rua, á trata tão mal que até eu já teria chutado ele no meio das pernas.

Mas ainda tem o sonho de toda adolescente que lê fanfic né, esbarrar em um famoso no meio da rua, e ser chamada à fazer um comercial, estourar da noite pro dia como modelo, fala sério.

Sobre o pai da garota, como ela deixa um estranho entrar na sua casa assim, do nada?

E COMO NINGUÉM FALOU NADA SOBRE ELA SER MENOR DE IDADE E TER ENGRAVIDADO DE UM CARA DE 31 ANOS?

Questões que ficam no ar.

Romantizar a violência, prostituição, entre outros é descabível. Claro que o livro foi escrito para maiores, mas existem adolescentes que gostam de ler, e acham isso lindo.

Não é amor, amor é cuidar, não xingar, maltratar, usar a pessoa como objeto. Tudo isso está longe de ser amor.


Postado por: Amy


2 Comentários

  1. Não li o livro, e após sua resenha não tenho mais nenhuma vontade de ler. Não sei quanto a outras pessoas, mais estou cansada de histórias na qual a mulher é a pobre, a inexperiente, a totalmente manipulada por um cara rico, lindo e aparentemente "perfeito". Enfim, é a primeira vez que visito o blogue e depois dessa resenha, com certeza vou voltar ��

    ResponderExcluir
  2. Oie! Nossa, deve ser bom esse livro, hein? kkkk
    Acompanhei a treta dessa autora, o livro parece refletir a forma como ela age e pensa. Lamentável!

    ResponderExcluir