UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO

by - 11:00

UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO
LISA KLEYPAS
320 PÁGINAS
ARQUEIRO


Sinopse:
Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas.
A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.
Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.
Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu?
Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.




Um Sedutor Sem Coração é o primeiro livro da série Os Ravenels, da autora Lisa Kleypas. A série está sendo publicada no Brasil pela editora Arqueiro, que sempre investindo bastante em livros de época. Inclusive estou claramente me tornando uma leitora assídua desse gênero literário que há alguns anos atrás não me interessavam tanto assim. 


Meu primeiro contato com livros de época foi com a série Os Brigertons, da autora Julia Quinn. Conheço muitas pessoas que a adoram e exaltam todos os seus livros, mas eu não tive toda essa paixão, já que abandonei a série no quarto livro e depois passei direto por todos os livros de época possíveis. Contudo, sou uma pessoa obstinada que odeia deixar coisas para trás e quando se trata de livros isso me deixa bastante incomodada. Portanto, quando vi o catálogo da editora acabei me apaixonando pela capa deste livro, sabia que seria de época, mas não deixei isso me abalar. Agora eu penso: ainda bem que solicitei este livro, porque foi uma leitura incrível.



Devon Ravanel tinha uma vida relativamente simples, até que herda o título de Conde do seu primo que morreu em um trágico acidente de cavalo. Porém, a residência está nas mãos de Kathleen — a esposa do antigo Conde — e outras três jovens, irmãs do falecido. O pensamento de Devon é simplesmente vender todas as terras, a residência e enviar as moças para a cidade, mas ele não contava com a esperteza da viúva que o despreza, já que assim que chegou foi logo dizendo que não ficaria com essas terras. A partir deste momento ele toma consciência de que terá que lutar bastante para conseguir pelo menos a amizade de Kathleen.



"Mal consciente de que seu autocontrole estava por um fim, Devon se forçou a endireitar o corpo e começou a se afastar, mas Kathleen o impediu, ainda segurando os braços dele, o olhar desfocado. Deus...era assim que deveria ser, o corpo dela seguindo o seu sem esforço, enquanto ele se erguesse e a preenchesse."



Nossa protagonista Kathleen tinha se casado recentemente com Theo, mas após uma discussão feia, ele acaba sofrendo o tal acidente. Claro que ela fica se culpando, pois o cavalo é seu desde de criança, por isso ela fica tão ressentida com a morte do marido. Após a chegada de Devon ela fica exaltada e com raiva dele, pois em nenhum momento conversou com ela e tentou fazer algum acordo, apenas decidiu e pronto. Pouco tempo depois, ele pede desculpas e acabam dando uma trégua — que promete grandes surpresas, aliás.



Estava esperando uma mocinha triste pela morte do marido, mas Katheleen foi totalmente o oposto que eu imaginava. Ela leva a sério seu tempo de luto, usando roupas, véus e colocando cortinas pretas em toda a casa para demonstrar a sua dor com a perda, mas percebi que embaixo de tudo isso, tinha uma moça forte e determinada que se apaixonou por essas terras e que pensa em todas as pessoas ao seu redor, os trabalhadores da grande casa e até mesmo os bens dos vizinhos. Discutiu bravamente com Devon para este não vender as terras e sim aproveitar o que ela poderia lhe trazer.



Devon poderia ter sido um homem insuportavelmente chato como seu primo Theo, que pelo o que nós descobrimos por comentários das pessoas que viviam ao seu redor, não era nem um pouco agradável e amistoso. Assim, o protagonista acabou se mostrando um homem que percebe o que as pessoas pensam e sentem e se envolve com elas e seus momentos. 



Seu irmão West vai com ele para esse condado para ajudar com as decisões a serem tomadas, mas se aproxima das meninas mais novas e acaba se tornando um irmão mais velho para elas. West se mostrou um rapaz desleixado e despreocupado com a vida no início, mas após seu irmão precisar de ajuda, ele se tornou um rapaz dedicado e, por incrível que pareça, conseguia resolver tão bem os problemas da fazenda que, em determinados momentos, deixava Devon surpreso. 



Duas personagens muito interessantes são Cassandra e Pandora, as irmãs gêmeas que transformam as situações mais sérias em engraçadas, deixando Kathleen muitas vezes com raiva. As duas nunca foram apresentadas a sociedade e não possuem aquele requinte necessário que as moças da cidade daquela época eram obrigadas ter — como saber cuidar de uma casa e do marido com muita classe e saber se portar em jantares, por exemplo —, então Kathleen tenta com o maior amor possível ensiná-las, mas nem sempre as mocinhas ajudam e escapam para ao ar livre, onde se sentem felizes no meio da natureza.



"— O que eu fiz para merecer isso? — quis saber Devon.
West torceu os lábios.
— Além de dizer que a expulsaria e destruiria a casa dela?
— Eu pedi desculpas!
— Nunca peça desculpas a uma mulher. Isso só confirma que você está errado e a deixa ainda mais irritada."



O livro desenrola o romance entre Kathleen e Devon, claro, mas também mostra o início do romance de Helen, uma das irmãs. Na minha opinião, Helen será a protagonista do próximo volume da série, que provavelmente é daquelas em que não faz mal ler os livros fora de ordem — a menos que você não queria receber spoilers dos livros anteriores, claro.



Em relação a edição de Um Sedutor Sem Coração, tudo está impecável. A capa com esses tons rosados variados deixou tudo com aquele ar de moça da fazenda mesmo. Os capítulos são alternados entre os vários personagens que apresentei na resenha. Possui 33 capítulos, incluindo um epílogo que deixa um gancho para o segundo volume, o que me deixou muito ansiosa para as cenas dos próximos capítulos.



Um Sedutor Sem Coração me arrancou suspiros, gargalhadas e lágrimas do início ao fim. Todos os personagens mostram suas forças e fraquezas em relação aos acontecimentos passados, mas que conseguiram superar de uma forma ou de outra. A família e sua força ficaram bem apresentadas na história, mostrando que podemos contar com aqueles que permanecem conosco nos momentos difíceis. Leitura recomendadíssima. 

Você também pode gostar

0 comentários